zica

É um vírus transmitido por mosquitos que, uma vez infectando seres humanos, causa sintomas leves. Antes de 2007, apenas raros casos de infecção havia sido descritos na literatura médica. Em 2007 um surto foi notificado na Micronésia, como doença leve com 108 casos confirmados.  Os pesquisadores demonstraram preocupação sobre a potencial difusão do vírus Zika em outras ilhas da Oceania e, possivelmente, nas Américas, o que de fato ocorreu, com a chegada na Ilha de Páscoa em 2014 e posterior disseminação nas Américas.
Recentemente, o Ministério da Saúde confirmou casos de Zika vírus no Brasil transmitidos pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo mosquito transmissor da dengue. Os casos foram confirmados em cidades do Rio Grande do Norte, Maranhão e Bahia, atribuídos a chegada no Brasil com turistas durante a Copa do Mundo de 2014.
Em geral, o quadro clínico é leve e os sintomas são semelhantes àqueles causados por outras doenças. Podem ocorrer erupções cutâneas (exantema) acompanhadas de coceira intensa (prurido), febre branda (em torno dos 38 ºC), dores de cabeça, musculares e articulares. A erupção cutânea (exantema) pode acometer face, tronco e membros, atingindo também palmas das mãos e a planta dos pés. Também é comum a ocorrência de hiperemia conjuntival, eventualmente conjuntivite, com intensa fotofobia.
A doença é autolimitada e em geral os sintomas duram até 7 dias. O período de incubação varia entre 3 e 12 dias após o contágio, ou seja, após a picada do mosquito infectado. Segundo literatura médica, apenas 18% das pessoas infectadas apresentam manifestações clínicas da doença.
Não há medicação específica para o Zika vírus. Como em algumas outras viroses, o tratamento foca no alívio dos sintomas com analgésicos e antitérmicos que não contenham ácido acetilsalicílico. Contudo, ao contrário da dengue, na ZIKA não há necessidade de hidratação vigorosa. Na dúvida, os profissionais de saúde devem tratar os casos suspeitos como dengue, que exige um tratamento mais rigoroso.
Não existe vacina contra a doença, que é de notificação compulsória. A única forma de prevenção é combater os focos do mosquito Aedes, típico das regiões urbanas de clima tropical e subtropical, e que ataca principalmente nos períodos de muito calor e chuva, pela manhã e ao entardecer.
ZIKA x Chikungunya X Dengue
A dengue, febre Chikungunya e Zika Vírus são clinicamente muito parecidos. O Zika Vírus possui um quadro clínico muito parecido com o da dengue e da febre Chikungunya, com sintomas como febre, diarreia, dores e manchas no corpo. No entanto, a nova doença ZIKA é considerada mais branda. Possivelmente, o maior diferencial do Zika é a presença de prurido mais intenso na pele, acompanhada de conjuntivite.
No caso da febre Chikungunya, os sintomas incluem o início súbito de intensa artralgia e febre acima dos 39 ºC. O vírus causa intensa artrite (dor articular com inflamação e inchaço), especialmente em pés e mãos – dedos, tornozelos e punhos. Pessoas de qualquer idade ou sexo podem ser afetadas pelo vírus, mas os sintomas tendem a ser mais intensos em crianças e idosos. As dores articulares persistem por semanas e até meses.
Já os sintomas da dengue são mais diversos, podendo ter dores de cabeça, febre alta, tonteiras e dores articulares, além de sangramentos (nariz, gengivas), dor abdominal intensa e vômitos persistentes.
Dentre todas as doenças, a dengue é a mais perigosa e, se não tratada, pode levar ao agravamento do quadro. A dificuldade em distinguir as três doenças também é grande, sendo apenas a realização de exames complementares a forma segura de defini-las, no entanto, não disponível para a população em geral.

FONTE: www.fapes.com.br
Elaboração: Ana Paula Pimentel Mendonça  CRM: 52-50906-7