481302-Clima-frio-agrava-em-20-a-apnéia-do-sono-dos-brasileiros-1

Roncar alto, sono inquieto, crises de asfixia, acordar cansado, com a boca seca ou com dor de cabeça, sonolência durante o dia, dificuldade de concentração, indisposição física psicológica e irritabilidade, são sintomas comuns da Apnéia Obstrutiva do Sono. Hipertensão, arritmias cardíacas, parada cardiorespiratória, infarto derrame cerebral e até a morte súbita também tem sido correlacionados a níveis severos de apnéia.

A apnéia é caracterizada por uma parada da respiração durante  o sono. Decorre da diminuição ou fechamento das vias aéreas superiores, que acabam por obstruir a passagem do ar.

Dados importantes: durante a apnéia ocorrem alterações na taxa de oxigênio no sangue e aumento da pressão arterial. Acima de 30 eventos por hora-considerada uma condição severa, o individuo apresenta hipertensão e/ou arritmias em 50% dos casos, redução da libido e até a impotência sexual total em 20 a 40% dos casos e, de 11 a 13%, podem ir a óbito de 5 a 10 anos, quando não tratados.

Os tratamentos podem ser cirúrgicos e conservadores. Entre os tratamentos conservadores estão indicados os APARELHOS BUCAIS. Seu mecanismo consiste em abrir ou ampliar o espaço das vias aéreas superiores através de uma modificação do posicionamento da mandíbula durante o sono do indivíduo. Essa modalidade tem apresentado ótimos resultados e entre outras vantagens apresenta custo baixo e simplicidade do uso.